DESCANSO

Por vezes, é muito bom descansar um pouco desses assuntos “nada agradáveis” dos quais trato por aqui.

Então, aproveitando o feriado (e a licença do Presidente do Senado, Renan Calheiros), um post mais “light”, em homenagem a um grande artista que morreu hoje (Paulo Autran), e a outro, que felizmente ainda está vivo, na ativa e produzindo (e cantando!!!!)  muito – meu “ídolo do rock“, David Coverdale:

Senado: mais PaTéticos infestando a pocilga

O Congresso Nacional, no geral, já pode ser chamado de pocilga – sem querer ofender os porcos. Mas o (ótimo) blog “Navalha Infame” estampou uma imagem que…..NÃO TEM PREÇO. Veja aqui.

O PT se faz representar MUITO bem na pocilga, não ?! Impressionante………

Congreço

É impossível resistir a esta notícia da Folha On-Line:

Um único carimbo fabricado com pouco zelo em relação à língua portuguesa fez com que milhares de documentos oficiais da Câmara e do Senado trouxessem um “Congreço Nacional” estampado nos cantos inferiores de suas páginas. O tropeço vocabular está grafado em documentos como medidas provisórias enviadas pelo Executivo. O carimbo, fabricado em meados de agosto, está em documentos com datas até cerca de três semanas atrás, quando finalmente alguém descobriu o erro. Segundo a Secretaria Geral do Senado, um funcionário da Secretaria de Coordenação do Congresso –que não teve o nome divulgado– encomendou por conta própria o carimbo, já que o que usava estaria desgastado. Ainda segundo a secretaria, funcionários do Senado passaram desde então a anular manualmente o “Congreço” e a carimbar “Congresso Nacional” ao lado.

Congreço

Fiquei com a seguinte dúvida: em meio ao aparelhamento do Estado que o PT vem praticando, com farta distribuição de cargos aos companheiros (sindicalistas, intelectuais de merda, amigos, apadrinhados, e demais asseclas), será que o tal funcionário do “Congreço” tem algum parentesco com o Presidente Lulla ?

É isso que dá fazer apologia à “iguinorânsia”….

E essa saiu na coluna do José Simão (sempre impagável!): Socorro! Brasília Urgente! Tão roubando até os esses. Olha o carimbo do Congresso: “CONGREÇO NACIONAL”! Foi o Seu Creysson que mandou fazer o carimbo? O Congreço é um suceço! Tô paçado! O Congreço tá falando lulês. Desaprenda português no Congreço! Rarará! Assaltaram a gramática. Ops, açaltaram tudo! Herrar é umano. Haja çaúde! Reforma hortográfica. É problema de QI: Quanta Ignorância. Rarará! 

A ficção e o Senador ridículo

O Estado de São Paulo, a despeito de ser o mais rico do país, é representado no Congresso por apenas 3 Senadores: Aloizio Mercadante, Romeu Tuma e Eduardo Suplicy.

Honestamente, não posso pensar numa representatividade de pior qualidade.

Mas o Senador Eduardo Suplicy extrapola todos os parâmetros de civilidade. Na verdade, não apenas “beira” o ridículo – ele ultrapassa todos os limites do ridículo. Não apenas por celebrizar-se por interpretações patéticas de uma música clássica (“Blowing in the wind”, de Bob Dylan), ou pelo comportamento debilóide que demonstra publicamente (o vídeo disponível no YouTube, de uma sessão da Comissão de Constituição e Justiça no Senado, na qual ele “interpreta” uma música (?) do grupo Racionais MC´s).

Para quem, como eu, já teve a oportunidade de vê-lo pessoalmente, numa palestra ou qualquer coisa do gênero (no meu caso, foi uma aula, na FGV, e uma palestra, há alguns anos), contudo, fica a impressão de que este senhor não tem pleno controle sobre suas faculdades mentais. Divagações, frases loooooongas e confusas, entremeadas por pausas irritantes, fala arrastada…… Me parecem muito mais efeito de alguma doença ou  coisa semelhante.

Como se não bastasse, as análises (?) e declarações públicas deste coitado o fazem parecer ainda mais patético do que sua natureza já estipula: O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) criticou hoje o último capítulo da novela “Paraíso Tropical”, da Globo, em que a prostituta Bebel (Camila Pitanga) é interrogada em um fictícia CPI dos Biocombustíveis pela sua relação extraconjugal com um senador. Suplicy disse que a cena deve causar “preocupação” aos senadores, já que a imagem do Conselho de Ética saiu arranhada na novela –apesar da cena ter mencionado uma suposta CPI. “O fato dos diretores da novela terem trazido o Conselho de Ética e a maneira como foi ali retratado deve nos causar preocupação”, disse. A íntegra, na Folha On-Line, está aqui.

Ora, uma declaração dessas……..Coisa típica deste abestalhado patético.

Ao invés de reclamar de uma obra de ficção (ou não) que faz uma crítica a uma situação degradante, que todo brasileiro tem visto nos últimos anos, que tal se o ilustre Senador e seus pares trabalhassem para que nunca mais seja preciso ver uma cena dessa natureza – nem na ficção, nem na vida real ?

A vida imita a arte, ou a arte imita a vida ?

Longe de mim classificar uma novela como “arte”, mas o princípio é o mesmo: se o Senado (e todos os Senadores, por extensão) não promovesse fatos grotescos, surreais, como este caso do Senador Renan Calheiros, tenho certeza de que nenhuma novela, livro, filme ou coisa que o valha retrataria o Congresso desta ou daquela forma. Caso o Senado tivesse um comportamento minimamente ético, republicano, as coisas seriam tão diferentes…….

Mas retomando ao Senador ridículo:  não foi este mesmo Senador que participou de uma novela (da mesma Rede Globo), acampando junto com um bando de “sem-terra” ? Ora, um Senador que apóia publicamente uma organização criminosa como o MST, em diversas oportunidades, não deveria causar preocupação ? Isso não arranha a imagem do Senado ?

Santo Senador ridículo, Batman !!!!!!!

Dedução ou Indução ?

Esta carta foi publicada na Revista da Folha de ontem (30/09/2007), na seção “Barbara responde”. Reproduzo, porque achei impagável:

“Lula afirma que a decisão do Senado de inocentar Renan Calheiros é inquestionável. Já o companheiro Zé Dirceu, segundo Lula, é um injustiçado, apesar de caçado pela Câmara, acusado pelo procurador-geral da República e denunciado pelo STF. Será que Lula pensa que somos todos petistas ou idiotas, muito embora ressalve-se que nem todo idiota é petista?”
Red Nose

A despeito da seção abrigar perguntas por vezes toscas, o tom, no geral, é o humor. Neste caso, em particular, o humor serve perfeitamente à crítica embasada e singela.

Afinal, Rei Lulla já disse que a decisão do Senado, de absolver Renan Calheiros, deveria ser respeitada. Obviamente, usou esse subterfúgio, do pseudo respeito à “instituição” Senado, para esquivar-se de admitir a ajuda do PT à absolvição do Presidente do Senado.
Mas na entrevista ao New York Times, semana passada, e noutras oportunidades, já defendeu o seu Primeiro-Ministro, José Dirceu – mesmo ele tendo sido cassado pelo mesmo Senado, denunciado pelo Procurador Geral da República, e tendo a denúncia sido acatada pelo STF.

Dois pesos e duas medidas. Coisa típica dos hipócritas do PT.

A magnanimidade do Rei Lulla

Ora, ora, ora…… O Senado Federal rejeitou ontem, por 22 votos a 46, a Medida Provisória que criou a Secretaria Especial de Planejamento de Longo Prazo da Presidência da República, chefiada pelo filósofo Mangabeira Unger.

Que pitoresco !!!!!!!!!!

Mas não é só isso: além da extinção do órgão, o governo também será obrigado a destituir mais de 600 funcionários que foram contratados em cargos comissionados autorizados pela MP (matéria completa na Folha On-Line, aqui). O mundo gira….. Lembro perfeitamente do Rei Lulla, quando era “oposição raivosa” ( ou “sapo barbudo” nas palavras do falecido Brizola), criticando FHC pelo excesso de edição de Medidas Provisórias……. E hoje………… (que irônico!)

O Professor Mangabeira Unger abandonou sua cátedra na Universidade de Harvard (na qual o Rei Mulla já declarou não ter interesse em cursar um Doutorado – não por opção própria, mas porque Harvard tem lá seus padrões mínimos, nada mínimos) , e, mesmo tendo clamado pelo impeachment do Rei Lulla (a quem chamou de corrupto com TODAS AS LETRAS), instalou-se numa Secretaria que ninguém sabe exatamente a que veio. Junto com o filósofo, somem mais de 600 cargos (no vulgo “trem da alegria”) criados pela mesma MP, e que também serviram de moeda de troca política (claro!).

Essa é diversão PURA.

O rap do ridículo

Não é novidade, mas o Senador (sic) Eduardo Suplicy faz jus ao título de “PTista”, sem sombra de dúvidas.

MOMENTO RIDÍCULO 1: cantando rap no Senado

MOMENTO RIDÍCULO 2: ganhando prêmio pelo mico.

Vexatório mesmo é saber que São Paulo elegeu este imbecil mais uma vez.

São mais ou menos 16 anos fazendo papel de ridículo, e envergonhando o Estado.

Ali Babá – o chefão

Essa serve para lembrar da fábula de Ali Babá e os 40 ladrões………

Coincidência ou não, foram 40 denunciados pelo Ministério Público por formação de quadrilha, corrupção e peculato…… Sem falar nos 40 Senadores que votaram contrariamente à cassação de Renan Calheiros (mais 6 bastardos que abstiveram-se).

A Casa da Mãe Joana agradece……….