Empresas mais rentáveis do mundo

Tive um professor no mestrado, o Marcos Bruno, que sempre dizia que as empresas mais rentáveis do mundo são as de petróleo, bem administradas.
O segundo tipo de empresas mais rentáveis do mundo são as petroleiras.
E o terceiro, as petroleiras mal-administradas.

Pois bem…. Não posso dizer que fiquei “surpreso” com esta notícia (na íntegra AQUI):

A queda abrupta do petróleo sufocou a PDVSA e colocou a maior estatal da Venezuela, responsável por mais de 90% de todas as exportações, em uma espiral de dívidas com fornecedores e prestadores de serviços. Pagamentos foram suspensos, trabalhadores dizem que irão às ruas para pedir reajustes salariais e algumas petrolíferas estrangeiras que operam plataformas em conjunto com a PDVSA estão a ponto de deixar o país.

Nesta semana, a americana Helmercih & Payne interrompeu as operações de quatro das 11 perfuradoras de poços terrestres na Venezuela. Em comunicado, a empresa diz ter recebido menos de 1% do que a PDVSA lhe deve pelos serviços realizados neste ano e afirma estudar a possibilidade de abandonar de vez suas atividades no país. A Anadarko, outra americana que recentemente anunciou descobertas na camada do pré-sal brasileiro, já seguiu esse caminho e saiu da Venezuela no ano passado.

A PDVSA divulga seus balanços com grande atraso e raramente dá entrevistas, mas relatórios que circulam no setor privado estimam a dívida da estatal em US$ 10 bilhões a US$ 12 bilhões – um aumento de até 50% sobre o valor de setembro, último dado oficial. Segundo o Eurasia Group, uma consultoria sediada em Nova York, dívidas de até US$ 1,5 milhão com mais de 5 mil pequenos e médios fornecedores nacionais começaram a ser saldadas no início de março, mas a retomada dos pagamentos a 56 companhias estrangeiras estaria condicionada a uma renegociação de contratos, com descontos de pelo menos 40%.

Para o analista Pietro Pitts, editor-chefe do site e da revista especializada “LatinPetroleum”, a PDVSA vive seu momento mais frágil desde fevereiro de 2003, quando 18 mil funcionários foram demitidos após a participação em uma desastrosa greve que paralisou totalmente a produção. Ele acredita que outras multinacionais podem deixar a Venezuela no futuro próximo, como Exxon e Conoco Phillips, mas ainda têm gás para suportar a inadimplência e posições hostis do presidente Hugo Chávez.

Sem fluxo de caixa suficiente e abrindo contenciosos com suas parceiras em vários blocos, as metas definidas pelo governo no plano Semente Petroleira tornaram-se um documento pouco realista. O plano, que cobria o período 2006-2012, estipulava o objetivo de elevar a produção para 5,8 milhões de barris por dia. Ele já foi adiado para 2013, mas ninguém aposta que a meta será alcançada. Das quatro novas refinarias anunciadas pela PDVSA na Venezuela, nenhuma saiu do papel, lembra Franklin Rojas, diretor do Centro de Investigações Econômicas (Cieca).

Nas projeções da consultoria, o resultado financeiro da estatal cairá de um lucro de US$ 19,6 bilhões em 2008 (antes das transferências para programas sociais e pagamento de imposto de renda) para prejuízo de US$ 6,5 bilhões neste ano. Como se não bastasse a queda dos preços no mercado internacional, também a produção deverá recuar em torno de 9% e ficar perto de 2,9 milhões de barris por dia – a Agência Internacional de Energia (AIE) diverge dos números da PDVSA e afirma que eles são menores do que o anunciado.

Isto representa uma pequena amostra de como os governos infectados pela ideologia pseudo-esquerdista burra podem ser prejudiciais aos seus países.
O Brasil, é verdade, não sofre deste problema com a mesma gravidade – mas sofre.
A corja de boçais incomPTentes que tem alocado os sindicalistas pelegos e mensaleiros nas tetas do governo tem agido de tal forma que, em 2011, o próximo presidente (quem quer que seja) terá problemas sérios.

Ao que indicam as pesquisas recentes, José Serra é, hoje, o mais cotado.
Considero o atual governador o mais preparado para ocupar o cargo. Mas até mesmo ele terá problemas sérios, gerados pela sanha PTista pelo “puderr”.

O ponto central é o seguinte: o Estado também deve ter, em seus quadros, ADMINISTRADORES no lugar de políticos incomPTentes.
Uma das razões para eu ter ojeriza ao PT (são várias!!!) é que esta congregação de apedeutos sempre optou por locupletar cargos públicos com seus apadrinhados – que, como vemos, não têm condição sequer de montar um quebra-cabeças de duas peças.
Ao invés disso, vemos sindicalistas e afins ocupando cargos de ministros, secretários e afins – mas nenhum tem competência para fazer o que precisa ser feito: ADMINISTRAR de forma eficaz e eficiente.
 

Comentários

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s