Por um Facebook com menos gatinhos e mais conteúdo

Eu tinha guardado essa matéria da Folha de São Paulo de novembro de 2011, e “achei” numa limpeza de final de semana.

Aproveito para colocar aqui no blog, pois acho uma idéia muito boa – especialmente porque ando farto do Facebook, com todos aqueles gatos, mensagens de auto-ajuda idiotas etc…

Segue a matéria na íntegra, com grifos meus:

Engenheiros fazem ‘tira-dúvidas’ avançado

Criação coletiva de respostas é diferencial desenvolvido pelos fundadores do site Ledface, de ex-alunos da Unicamp

MARIANA BARBOSA
DE SÃO PAULO

Sites de perguntas e respostas, como o do Yahoo!, são tão antigos quanto a própria internet. Mas eles estão ficando mais sofisticados, com cara de rede social e softwares inteligentes que ajudam a melhorar as respostas.

Na esteira do sucesso do Quora, site de perguntas e respostas de ex-executivos do Facebook avaliado em US$ 300 milhões pelo Goldman Sachs, acaba de entrar no ar o brasileiro Ledface.

Desenvolvido por um grupo de engenheiros formados na Unicamp a partir de doutrinas liberais da websfera como software livre, cocriação e anonimato consciente, o site está em fase beta (pré-lançamento em linguagem web).

Em apenas um mês, e sem divulgação, contabiliza 2.900 usuários cadastrados, sendo 52% do Brasil. O site pode ser acessado em português, inglês ou nas duas línguas ao mesmo tempo. Já são 3.100 perguntas, das quais 71% foram respondidas.

Tem de tudo: de alguém querendo saber se vale a pena comprar um apartamento com varanda “Gourmet” a um fumante buscando ajuda para largar o cigarro. “Não existe pergunta idiota. Se é algo que te aflige, a pergunta é válida”, diz Horácio Poblete, um dos fundadores.

Diferentemente do Yahoo! Respostas ou do Quora, no Ledface a resposta não vem de apenas uma pessoa, mas é construída coletivamente, em um processo de cocriação. As perguntas são enviadas para 50 pessoas que o Ledface acredita serem as mais indicadas. Cada um que entra para responder tem autonomia para corrigir ou aprimorar respostas anteriores.

O Ledface é uma robô mulher. É inspirada na Eva, robô da animação “Wall-E”, da Disney Pixar, que salva a humanidade da destruição.

Cada usuário tem o seu perfil construído a partir de informações subjetivas, como preferência de cores. O perfil evolui de acordo com a interação do usuário.

A tecnologia levou um ano para ser desenvolvida e mimetiza a formação de enxames de abelha.

Com um investimento inicial de R$ 200 mil, bancado pelos sócios e amigos, o site foi um dos três vencedores do Prei (Prêmio RBS de Empreendedorismo e Inovação), anunciado na sexta-feira.

A equipe do Ledface não gosta de comparações com o Quora e tem como referência o Vark, site de perguntas e respostas comprado pelo Google por US$ 50 milhões.

A partir do perfil dos usuários, o Vark buscava pessoas mais adequadas para responder a cada pergunta. Chegou a 100 mil usuários. Apesar do sucesso, foi fechado pelo Google no mês passado.

O Ledface deve entrar em operação para valer em 1º de janeiro. “Agora estamos mais preocupados em aprimorar o site e aumentar o grau de retenção [usuários frequentes]. Hoje a retenção é de 18%, a meta é chegar a 20% até o fim do ano”, diz Poblete.

Ele acredita que será preciso 100 mil usuários para a inteligência coletiva do Ledface se tornar abrangente e relevante. O objetivo é chegar a esse número em seis meses.

 

Inteligência coletiva é produzida por anônimos em site brasileiro

Apesar de se enquadrar na mesma categoria de perguntas e respostas do Quora, o Ledface é quase que a antítese do site do americano.

Enquanto o primeiro faz sucesso por atrair celebridades do Vale do Silício, no Ledface a inteligência coletiva (constituída pelo acervo de perguntas e respostas) é produzida por anônimos.

Sócio fundador do Ledface, Horácio Poblete acredita que, sob anonimato, as pessoas ficam mais dispostas a compartilhar conhecimento de forma espontânea.

“O Facebook e o Quora viraram plataformas para fazer marketing pessoal. Ninguém fala o que pensa de verdade, é uma exposição de egos.”

Em um ambiente anônimo, acredita Poblete, uma pessoa que entende muito de determinado assunto, mas não quer se expor, pode contribuir anonimamente com seu conhecimento.

“No Ledface não interessa quem é você, mas o seu conhecimento. Quando as pessoas têm de se identificar, elas não vão revelar suas dúvidas. E elas só vão dar respostas que possam contribuir positivamente para as suas imagens públicas.”

Para evitar a chamada trollagem -gíria para pessoas mal-intencionadas que se escondem no anonimato da web para fazer comentários abusivos-, o programa faz uma avaliação da performance de cada usuário. Quem contribui de forma construtiva, com respostas que satisfazem ou surpreendem positivamente quem perguntou, ganha créditos.

Por conta da rede de contatos de seus fundadores, ex-Facebook, o Quora atraiu gente de peso em seu início.

Se a pergunta era sobre Palo Alto, a resposta viria de ninguém menos do que o prefeito da cidade americana. Até Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, apareceu para responder a perguntas.

Mas o Quora é ainda uma rede fechada. É preciso ser convidado para entrar. “Quando a rede se abrir para qualquer um, a tendência será de queda de qualidade. O enorme conhecimento adquirido pelo Quora até aqui vai acabar se diluindo”, afirma Poblete.

Ele acredita que o anonimato consciente deve atrair mais mulheres para o Ledface. “Elas não entram nessa guerra de egos”, diz ao observar que no maior site de inteligência coletiva, a enciclopédia Wikipédia, 87% dos que contribuem são homens. E eles precisam se identificar e passar pelo crivo de editores.

RECEITA

Para gerar receita, o Ledface pretende atrair publicidade e oferecer versões fechadas para empresas. A ideia é usar a ferramenta para estimular a troca de conhecimento nas empresas, permitindo a interação anônima entre funcionários, passando ao largo de cargos e hierarquias. 

Acabei de me cadastrar no site, e vou fuçar melhor antes de emitir qualquer opinião.

A idéia, porém, já tem meu total apoio!

Comentários

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s