Público ou privado?

Antes de mais nada, quero relacionar os 36 vereadores de São Paulo que ontem aprovaram, em 1a votação, o Projeto de Lei 288/2011, que concede mais de R$ 420 milhões em incentivos fiscais para a construção do estádio do Corintians, em Itaquera:

  1. Adolfo Quintas – PSDB
  2. Agnaldo Timóteo – PR
  3. Alfredinho – PT
  4. Aníbal de Freitas – PSDB
  5. Atílio Francisco – PRB
  6. Claudinho – PSDB
  7. Claudio Prado – PDT
  8. Dalton Silvano – S/ PARTIDO
  9. Domingos Dissei – DEM
  10. Edir Sales – DEM
  11. Eliseu Gabriel – PSB
  12. Francisco Chagas – PT
  13. Gilson Barreto – PSDB
  14. Goulart – PMDB
  15. Ítalo Cardoso – PT
  16. Jamil Murad – PCdoB
  17. José Américo – PT
  18. José Police Neto – S/ PARTIDO
  19. José Rolim – PSDB
  20. Juliana Cardoso – PT
  21. Juscelino Gadelha – S/ PARTIDO
  22. Marta Costa – DEM
  23. Milton Leite – DEM
  24. Natalini – S/ PARTIDO
  25. Netinho de Paula – PCdoB
  26. Noemi Nonato – PSB
  27. Paulo Frange – PTB
  28. Quito Formiga – PR
  29. Ricardo Teixeira – S/ PARTIDO
  30. Roberto Tripoli – PV
  31. Salomão – PSDB
  32. Senival Moura – PT
  33. Souza Santos – S/ PARTIDO
  34. Toninho Paiva – PR
  35. Ushitaro Kamia – DEM
  36. Wadih Mutran – PP

Estes 36 vereadores, juntamente com o Executivo (do Prefeito Gilberto Kassab), querem que a cidade de São Paulo deixe de receber mais de 420 MILHÕES de reais em receitas (dinheiro PÚBLICO) para que um clube PARTICULAR construa o seu estádio.
O benefício para a cidade? Quase nenhum.
Reproduzo trecho de um texto da urbanista Raquel Rolnik (o texto, na íntegra, está AQUI, e merece ser lido):

Por fim, em relação à Itaquera: o bairro merece intervenções urbanísticas que proporcionem melhorias para a região? Claro que sim! Itaquera, um dos centros da Zona Leste, a região mais povoada – e historicamente negligenciada – de São Paulo, carece de investimentos urbanísticos há muito planejados e nunca implementados. Mas, seguramente, um estádio não tem a capacidade de transformação urbanística positiva que se quer vender com a construção do Itaquerão. 

Em lugar nenhum do mundo, grandes estádios atraem grande densidade de usos e investimentos em seu entorno. Muito pelo contrário – no mais das vezes, acabam gerando uma zona morta ao seu redor, já que ocupam grandes áreas, exigem grandes espaços de estacionamento e áreas de escape e, assim, bloqueiam a urbanidade. Ou seja, uma intervenção urbanística em Itaquera é bem-vinda, mas não será o Itaquerão que proporcionará as melhorias de que o bairro precisa. Itaquera e a Zona Leste merecem algo muito melhor que um estádio que, após a Copa, se tornará um elefante branco. 

Infelizmente, ao se misturar três questões muito distintas, esconde-se o que não se quer dizer e impede-se – pela paixão – de se tomar uma decisão a altura de São Paulo, dos corinthianos e dos moradores da Zona Leste.

Além disso, a politicagem rasteira que vem cercando essa questão (não apenas do estádio do Corintians, mas de toda a copa e ainda das olimpíadas no Brasil) causará um prejuízo incalculável ao país. Com este projeto de lei aprovado em primeira votação ontem, a cidade de São Paulo já começa a perder.

Reportagem da Época SP (AQUI, na íntegra) merece ser lida também. A matéria mostra, de forma clara e cristalina, que os prejuízos desta corrida desenfreada para sediar a abertura da Copa em SP vão muito além.

Eu destaco uma das declarações do presidente do Corintians, o tal André Sanchez: “Isso é uma coisa privada. O poder público não tem de acompanhar nada do estádio.”
Essa declaração mostra, de forma claríssima, o que vai acontecer.

Um clube PRIVADO, que está recebendo uma verdadeira fortuna do Estado (BNDES, Prefeitura, União etc), se acha no direito de ditar o que vai fazer, se acha o dono da cocada-preta.
Como assim “o poder público não tem que acompanhar nada”? Se não fosse o poder público, não haveria NADA (estádio) para acompanhar! Quem está bancando tudo é o poder público! Ou seja, cada cidadão que paga impostos (e, no Brasil, não são poucos!)

Confundir público e privado é um problema GRAVÍSSIMO (e histórico) do Brasil.
Senhor Sanchez: o estádio do seu time, na verdade, NÃO É DO SEU TIME.
Quer manter o poder público de fora? Ótimo. Comece pela fonte de recursos: use dinheiro do seu clube, e não do poder público! Da minha parte, pelo menos, garanto que se você usar o dinheiro PRIVADO do seu time/clube para construir o seu estádio, eu não darei a menor importância. Mas a partir do momento em que você está querendo usar o MEU dinheiro para construir o SEU estádio, aí passa a ser problema meu, sim.

Em suma, é simplesmente ABSURDO que a cidade de SP, o Estado, ou mesmo a União adotem práticas obscuras, escusas e/ou ilegais (detalhes AQUI), visando exclusivamente o benefício de um (ou 2, 3, não importa) clube.

Por que os torcedores do Corintians não pagam pelo SEU estádio? Por que o SEU time não faz uma poupança, e pede aos torcedores fiéis que depositem um dízimo mensalmente, até juntar 1 bilhãozinho de reais (coisa pouca, né?!)? 
As igrejas fazem isso – e estão bem ricas! Elas têm isenção de vários impostos (o que eu acho igualmente absurdo), mas nenhuma delas, nem mesmo a Universal, jamais enviou um projeto à Câmara de SP pedindo dinheiro ANTES de iniciar suas atividades/cultos (ou seja lá o nome que for).
 

Diferentemente das pontes, viadutos, marginais e afins, um estádio de futebol NÃO será utilizado pela população, não irá beneficiar a cidade – irá beneficiar apenas e tão somente aqueles que pagaram para entrar no tal estádio, seja para um jogo, seja para qualquer outro evento.

Corintiano: por que eu e outros milhões de cidadãos temos que pagar pelo SEU estádio? Seja corintiano, é seu direito. Mas não seja canalha como seu time tem sido ao pleitear um absurdo desses.

Vemos uma empresa (Corintians) com lucro de pouco mais de 12 milhões de reais anuais (EBITDA), recebendo um benefício ILEGAL, e equivalente a TRINTA E TRÊS ANOS de lucro (bruto) da Prefeitura… Qual o interesse da cidade numa coisa dessas?
Pior: o clube precisa de MUITOS milhões de reais. Uma vez concedido o benefício municipal (eu não tenho nenhuma dúvida de que o PL será aprovado), será feita uma engenharia financeira para obter recursos diretos do BNDES. Porém, o empréstimo NÃO será feito em nome do Corintians, segundo o próprio BNDES já informou, pois o clube NÃO TEM CONDIÇÕES DE OFERECER GARANTIAS capazes de viabilizar um empréstimo de mais de 400 milhões de reais.

O Corintians terá obtido centenas de milhões de reais em dinheiro público, e não deverá nenhum centavo….

É ou não é uma situação surreal?!

Isso é Brasil!

 

Comentários

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s